Ser Feliz ou Ter Razão? 2

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o poeta Ferreira Gullar contou a origem de uma de suas frases mais famosas. Disse que, dia desses, discutiu tanto com a sua companheira que uma hora ela se levantou e abandonou o local.

Na opinião do poeta, ele até ganhou a discussão. Ganhou, mas não levou: ficou falando sozinho. E foi aí que ele cunhou a pérola: ‘Não quero ter razão, quero ser feliz’. A genialidade da frase dispensa explicações. Aliás, as frases geniais são geniais justamente porque não precisamos explicá-las.
Podemos, porém, refletir sobre ela. É para isso que servem as frases geniais.

Nós, mortais, não elaboramos pensamentos como Ferreira Gullar, e é por isso que nós somos mortais e o Ferreira Gullar é o Ferreira Gullar. Imagine só soltar uma frase dessas no meio da conversa: é o fim de qualquer discussão, não importa quem está com a razão.

A sociedade chegou a um nível de egocentrismo tão grande, que parece que todo mundo quer ter razão o tempo inteiro. Há muito tempo não ouço alguém dizer ‘puxa, você tem razão, eu estou errado’. Será que ainda há espaço para a humildade nesse reality show que se tornou o mundo? Será que admitir um erro é visto como sinal de fraqueza?

A frase de Gullar chama a atenção justamente porque revela que é fundamental ceder, abrir mão de disputas mesquinhas em nome da felicidade. Não é esse objetivo da vida, ser feliz?

Pode parecer ingenuidade, mas juro que vou pensar duas vezes antes de entrar em uma discussão. Porque a gente sempre sabe como uma discussão começa, mas nunca sabe como ela vai terminar. E se pode terminar mal… para que começar? Já fiz isso tantas vezes, tantos confrontos desnecessários… Quem ganha uma discussão, ganha o quê?

Discutir com quem a gente ama só serve para minar a relação. Não estou pregando a apatia generalizada: é bom ter opiniões, são elas que constroem nossas personalidades. Mas querer impor essas opiniões a alguém tem um preço muito alto, que não acho que vale a pena pagar. Ou vale, para quem estiver disposto a pagá-lo. Infelizmente, não é como checar a etiqueta numa loja de roupas: a gente só sabe quanto a discussão ‘custou’ quando ela termina.

Gullar, eu também não quero ter razão, eu também só quero ser feliz. Pensando bem, ter razão nem é tão bom assim, porque significa que, se você está certo, a pessoa que você ama está errada. E será que é necessário expor o erro do outro de maneira tão evidente? Talvez seja por isso que vemos por aí cada vez mais gente com razão – e infeliz.

Por Felipe Machado

http://blogs.estadao.com.br/felipe-machado/nao-quero-ter-razao-quero-ser-feliz/

 

Beijos da Che (ia de felicidade pois hoje é um dia muito importante na minha vida acadêmica!) Rosa vermelha

4 Respostas

  1. Que delícia de artigo !!!

    Parabéns por mais essa conquista !!!!

    Sucesso e bons negócios,

    Att,
    Eliana Diniz – Consultora Empresarial

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: